O que a Black Friday nos ensina?

Em Economia Comportamental por

Imagem do post: O que a Black Friday nos ensina?

A Black Friday é um dos períodos mais esperados do ano, afinal as promessas de descontos e o estoque limitado enchem os nossos olhos e despertam as nossas carteiras.

Como não bastassem, vários outros estímulos são usados para fornecer a melhor experiência de compra e eles estão em todos os detalhes, na decoração da loja, cores, iluminação, cheiro, som ambiente, nos preços e condições de pagamento. É muito tentador!

A Black Friday passa, mas outras datas comemorativas instigam as pessoas a fazerem suas comprinhas e presentearem alguém ou até mesmo dar uma recompensa a si próprio em razão do empenho nosso de cada dia.

Vamos pensar mais adiante, nem precisa destas ocasiões para sermos tentados a sacar o nosso cartão de crédito e parcelar a perder de vista. Socorro, o décimo terceiro está chegando! Segura mais um pouco, seja “racional”.

Note que a tentação para gastar nos cerca diariamente, então as dicas que daremos a seguir são válidas para os 365 dias do ano.

“Amarre as suas mãos” – deixe o cartão de crédito (ou “os cartões”) em casa ou dentro do carro, assim você tem alguns minutos para pensar se realmente precisa comprar aquilo.

“Sem birras” – nem toda criança é birrenta, mas geralmente elas têm um jeitinho especial para pedir algo e muitos pais não resistem. Se você faz parte do time do “coração mole”, melhor fazer compras sozinho.

“Agora, já, imediatamente” – a máxima “antes agora do que mais tarde ou nunca” precisa ser repensada, porque o gasto de hoje geralmente compromete as finanças de amanhã. Sabemos que dói essa sensação de perda, mas analisar o risco com mais frieza é necessário.

“Você não é todo mundo” – não é porque amigos e familiares estão comprando que você precisa seguir o fluxo. A impulsividade pode gerar muitos transtornos, inclusive problemas de saúde (quem não fica ansioso e nervoso quando está com dívidas?).

“Olhe para si, não para a promoção” – faça uma autoanálise e descubra em quais momentos ocorrem as compras, quais emoções têm sentido (ansiedade, raiva, felicidade..), faça uma lista dos gastos, cruze essas informações e veja se as compras feitas realmente foram necessárias. Assim, você terá mais clareza com o quê e porque gastou e não repetirá o mesmo erro.

Compreender o comportamento humano é fundamental para saber como as pessoas geralmente tomam decisões. No caso do consumidor, entender os motivos que os fazem agir da maneira que agem, permite fazer escolhas inteligentes e ainda garantem um sono tranquilo, sem dívidas e arrependimentos. 

Imagem:  Freepik

Voltar